Economias europeia e americana são cruciais aos latinos

A economia latino-americana ficará marcada em 2014 pela recuperação do comércio previsto para a União Europeia (UE) e pelo endurecimento da política monetária nos Estados Unidos, segundo a Organização Mundial do Comércio (OMC).

Segundo as projeções divulgadas nesta segunda-feira (14/04) pelo organismo, as exportações da América do Sul e América Central darão um salto significativo, com um crescimento de 4,4% em 2014, contra o índice de 0,7% registrado no ano passado.

Já as importações aumentarão 4,1%, ante 2,5% em 2013. Em nível mundial, a previsão é de que o comércio cresça 4,7% em 2014, mais do que o dobro do ano passado (2,1%).

A projeção indica uma melhora da economia internacional, mas que ainda não significa a média de crescimento de 5,3% dos últimos 20 anos.

A melhora que se prevê para a América Latina leva em consideração a recuperação da demanda e da atividade econômica na Europa, um importante mercado para a região e que representa dois terços do comércio mundial.

“A notícia positiva é que se o crescimento na Europa se materializar, isto pode ajudar a região”, declarou o economista-chefe da OMC, Robert Teh, na apresentação do relatório anual da organização sobre as tendências do comércio mundial.

O analista frisou, no entanto, que a política monetária dos Estados Unidos se transformou em “um fator de risco” para a América Latina, devido ao abandono dos estímulos monetários, segundo um calendário que ainda não está decidido.

Neste cenário, o provável aumento das taxas de juros por parte do Federal Reserve (Banco Central americano) é o aspecto que mais pode afetar alguns países latino-americanos e provocar de forma indireta uma saída de capitais a curto prazo para outros lugares do mundo.

Fonte: EFE

 

Sem comantários ainda.

Adicionar um comentário




Cambio Atualizado

Siga-nos